Spam: o que é e o que você precisa fazer para que as suas campanhas não caiam nessa caixa

Se você não sabe exatamente o que é spam e como evitar, pode estar jogando dinheiro fora com sua estratégia de email marketing.

E muito dinheiro.

Porque não adianta nada investir (ainda que tenha um custo baixo) para enviar mensagens para os seus potenciais clientes, se elas estão caindo direto na caixa de spam.

E isso não é muito difícil de acontecer, não.

Porque, em média, um a cada dois emails enviados no mundo inteiro é spam.

E vamos ser sinceros aqui, quem é que lê o que cai na caixa de spam, não é mesmo? 

Geralmente esses emails são ignorados até que o próprio provedor esvazie essa caixa a cada 30 dias.

Se as suas mensagens estão caindo no spam, você está perdendo não só o dinheiro que você investiu para capturar a lead, para manter um disparador de e-mail marketing…

Como também o que você poderia ganhar se o seu potencial cliente lesse o seu email e comprasse o seu produto ou serviço.

Mas você não precisa se preocupar com isso.

Porque existem medidas simples que você pode tomar para evitar que suas mensagens sejam consideradas spam tanto pelos provedores de email, quanto pelos usuários.

E eu vou te mostrar exatamente isso neste artigo. 

Além disso, você também vai ver:

  • o que é spam;
  • quais os tipos de spam;
  • meios de envio;
  • qual a diferença entre email marketing e spam;
  • e como os filtros de spam funcionam.

Tudo o que você precisa fazer é continuar lendo esse artigo até o final.

Vamos?

O que é spam? 

Spam é o envio de mensagens não solicitadas e nem autorizadas, enviadas por meio eletrônico com o objetivo de aplicar golpes ou fazer propaganda inadequada de algum produto ou serviço. 

Você mesmo já deve ter se deparado com algumas dessas mensagens na sua caixa de entrada.

Mas o que nem todo mundo sabe é que, anos atrás, a palavra “spam” não tinha nada a ver com a internet ou com os emails.

Na verdade, o envio dessas mensagens indesejadas foi inspirado em uma esquete do programa humorístico britânico Monty Python, de 1970. 

No programa, quase todos os itens do menu de um café incluíam SPAM – um tipo de presunto enlatado da marca americana Hormel Food.

Enquanto o garçom recitava o menu cheio de SPAM, um coro de clientes Vikings abafava todas as outras conversas com uma música repetindo “SPAM, SPAM, SPAM, SPAM… adorável SPAM, maravilhoso SPAM”.

Você pode ver o quadro neste vídeo:

Desde então, spam tem sido associado a informações indesejadas, invasivas e excessivas que suprimem as mensagens necessárias e atrapalham o diálogo. 

Quem promove a prática de spam?

O spam é feito de forma maliciosa por pessoas que querem espalhar boatos, aplicar golpes e roubar informações.

Mas também pode acontecer por falta de informação de alguns empreendedores que, com a intenção de divulgar o seu produto ou serviço para o maior número de pessoas, acabam enviando mensagens não solicitadas.

Por isso é importante estar atento a algumas boas práticas que você verá ao longo deste artigo para evitar que os seus emails e outras formas de divulgação do seu negócio não sejam identificadas como spam. 

Quais os tipos de spam?

Assim como há diferentes intenções por trás de quem promove essa prática, existem também vários tipos de spam.

Inclusive alguns tipos são maliciosos e podem até ser configurados como crime por ser uma forma de aplicar golpes ou por violar a LGPD (Lei Geral de Proteção de Dados).

Um exemplo clássico é o envio de emails solicitando ao destinatário que ele forneça os detalhes da sua conta bancária. 

Obviamente, se o destinatário não prestar atenção a itens como o remetente e se o site para onde ele for redirecionado é realmente a página do banco, ele poderá ter sua conta bancária invadida.

Para prevenir que você se torne uma vítima dos spammers (quem faz spam), listei os principais tipos dessa prática. 

1. Boatos

Como o nome sugere, esse tipo de spam busca divulgar histórias falsas e alarmantes. Não é muito difícil identificar essa prática.

Geralmente, esse tipo de mensagem não apresenta os nomes dos envolvidos, a localidade nem a data específica. 

Além disso, elas costumam ter um forte apelo para que seja repassada para o maior número de pessoas possíveis. 

Um bom exemplo são as fakes news que inundam o WhatsApp e o Facebook, principalmente durante períodos de instabilidade política e financeira.

A melhor forma de não cair nessa pegadinha é checar os fatos antes de divulgá-los.

2. Correntes

“Se nos próximos 10 minutos você não repassar esse artigo para outros 10 empreendedores que você conhece, seu faturamento cairá pela metade neste ano.” 😂

Engana-se quem pensa que as correntes ficaram restritas à época do Orkut. 

Hoje em dia, elas circulam muito mais rápido através do WhatsApp e você, com certeza, já recebeu uma corrente em algum grupo que participa.

Basicamente, esse tipo de spam solicita que a vítima compartilhe a mensagem para um maior número de pessoas a fim de não quebrar a corrente.

Como são fáceis de identificar, vale ficar atento e não propagar esse tipo de conteúdo.

3. Propagandas

Esse é o tipo mais recorrente de spam, sendo usado para promover algum produto ou serviço sem que você tenha cadastrado o seu contato para isso.

Obrigatoriamente, todo email precisa conter um link de descadastramento. Mas boa parte dos spammers ignoram essa boa prática.

E mesmo se colocar o link,  o fato de você não ter autorizado o envio daquela mensagem, por melhor que seja a oferta que a marca está fazendo, caracteriza esse envio como spam.

4. Golpes

Quando falamos em golpes, os spams começam a se tornar mais perigosos.

Aqui, vale aquele velho ditado: quando a esmola é demais, o santo desconfia.

E é para desconfiar mesmo.

Promessas vazias, especialmente falando em ganhos financeiros fáceis, são um atalho para se dar mal.

Tenha muito cuidado, coloque sempre em dúvida a mensagem, cheque a informação e não a repasse sem antes se certificar do que se trata.

Pior do que cair em um golpe a partir de um spam é levar outras pessoas a fazerem o mesmo.

5. Estelionato

O estelionato é uma forma de golpe praticada através do spam.

Vale um tópico à parte, pois possui características próprias.

Esse tipo de spam solicita que a vítima entre em alguma página e insira seus dados pessoais, como o número do CPF, endereço, além de informações financeiras.

O problema é que, com esses dados em mãos, o spammer pode causar sérios danos e situações complicadas para a vítima.

Inclusive, pode levar a crimes graves, como roubo de identidade, que geralmente é o propósito dessa prática.

6. Malwares

Softwares maliciosos, ou “malwares” são os famosos vírus, como cavalo de tróia, worms, dentre outros.

Eles são executados por criminosos virtuais para obter acesso ao computador ou celular, recolher informações pessoais e causar riscos sérios para quem é vítima. 

Geralmente, ocorre através de vários formatos de spams, como a divulgação de boatos e fake news.

Ao receber uma mensagem que você não conhece a procedência com link, o ideal é não clicar em nada, pois isso pode infectar seu dispositivo e permitir o acesso a ele por pessoas não autorizadas.

Meios de envio de spam

Infelizmente, os spammers podem utilizar vários canais de comunicação para enviar suas mensagens, comunicações indesejadas e mesmo aplicar golpes.

Pensando nisso, coloquei aqui embaixo os principais meios de envio que são utilizados para você ficar de olho e evitar ser mais uma vítima ou praticar por falta de informação. 

1. Email

O email é o principal canal para envio de mensagens de spam. 

Quase todo mundo possui um endereço de email. Logo, os spammers têm um prato cheio na sua mesa. 

Por isso, evite divulgar seu endereço de email publicamente e, sempre que se cadastrar em algum site, certifique-se de verificar a política de privacidade para garantir que seu contato não caia nas listas dos spammers.

Além disso, cheque a caixa de spam periodicamente, apague as mensagens sem abrir e nunca clique em nenhum link de origem duvidosa.

2. Mensagens instantâneas

Com a popularização dos smartphones, aplicativos para troca de mensagens como o WhatsApp e até mesmo o velho SMS, passaram a ser alvos de spam.

Existem dois tipos principais que fazem uso dessa prática, os indiscriminados e os direcionados.

Entenda cada um deles:

  • Indiscriminado: geralmente, envolve mensagens promocionais de pessoas ou empresas com as quais você não tem nenhum relacionamento. Embora sejam irritantes, geralmente são inofensivos se você simplesmente ignorar e bloquear o usuário.
  • Direcionado: normalmente, começa com alguém que você não conhece solicitando que você o adicione à sua lista de contatos, e pode progredir de muitas maneiras diferentes, dependendo do objetivo final do spammer, como aplicar golpes e fraudes, por exemplo. Nesse caso, o ideal é adicioná-los à sua lista de bloqueio e notificar o serviço de mensagens, quando possível. 

3. Grupos e fóruns

Se você participa ativamente de algum grupo ou fórum na internet, talvez já tenha identificado postagens promocionais não autorizadas nesses locais. 

Basicamente, o intuito é promover produtos ou serviços, tentando criar links para o site do spammer para obter tráfego e também para melhorar o posicionamento nas ferramentas de busca. 

Já que o Google, por exemplo, considera a quantidade de links para uma determinada página na hora de definir o ranqueamento dela no resultado de uma pesquisa.

4. Blogs

Blogs ou qualquer outro tipo de página que permite que os visitantes deixem comentários são um lugar certeiro para encontrarmos mensagens de spam. 

E você consegue identificá-las facilmente, já que esses comentários geralmente são totalmente irrelevantes para o assunto do post ou são tão genéricos ao ponto de pertencer a quase qualquer tópico. 

Assim como nos grupos e fóruns, o objetivo desse tipo de spam é obter links e melhorar o ranqueamento da página do spammer, ou, com menos frequência, para promover diretamente um produto ou serviço.

Para frear esse tipo de mensagem, mecanismos de busca, como o Google, passaram a incluir a tag “nofollow” nesses espaços. 

Essa etiqueta serve para mostrar aos robôs desses mecanismos que todos os links contidos nesses espaços não têm autoridade alguma, fazendo com que eles, consequentemente, percam seu valor e se tornem menos atraente ​​para os spammers.

Por isso, se você ou o seu negócio possuem um blog, é interessante investir nesse atributo para evitar mensagens de spam. 

5. Redes sociais

As redes sociais são outro ponto de grande interesse para os spammers.

Afinal, eles conseguem enviar esse tipo de spam de diferentes maneiras: com links aleatórios nos comentários das publicações, nas mensagens pessoais no chat, em perfis falsos, nos grupos de interesse em comum, entre outros. 

Portanto, preste bastante atenção para não clicar em algum link malicioso quando estiver navegando pelas suas redes sociais favoritas. 

Qual a diferença entre spam e email marketing?

Como você viu, um dos tipos mais comuns de spam é o envio de conteúdo publicitário promovendo um produto ou serviço por email.

Isso é tão comum que algumas pessoas chegam a confundir email marketing e spam como se fossem a mesma coisa, mas na verdade não é.

A principal característica do spam é ser uma mensagem não solicitada e não autorizada. Isso significa que o dono do endereço de email não permitiu que aquela marca se comunicasse com ele.

Por outro lado, o email marketing é uma mensagem de certa forma solicitada

Quando você se cadastra em uma newsletter, por exemplo, você está permitindo que aquele site te envie emails.

E, mesmo com essa autorização, o remetente é obrigado a incluir um link de descadastro em todas as mensagens enviadas, pois você tem o direito de parar de receber esse tipo de comunicação quando quiser.

Como funciona o filtro de spam dos serviços de email

Agora que você está por dentro dos principais tipos de spam e os meios como são propagados, talvez esteja se perguntando: 

“Afinal, como evitar que as campanhas de email marketing do meu negócio caiam no filtro de spam?“

Antes de responder essa pergunta e te dar dicas do que você pode fazer para manter sua estratégia de marketing digital longe da caixa de spam, eu vou te explicar um pouco como funcionam os filtros dentro dos provedores de e-mail (Gmail, Outlook, Yahoo! Mail).

A primeira coisa que você precisa entender é que entre a mensagem passar pela caixa de saída do remetente e chegar até a caixa de entrada do usuário tem todo um caminho a ser percorrido.

E nesse processo tanto o seu domínio (o @seunegocio.com.br) quanto o conteúdo do email é analisado e avaliado.

Primeiro, se você sempre enviar email para uma galera, mas poucas pessoas abrem, muitas excluem sem nem ler, os provedores começam a entender que a sua mensagem não é relevante.

Com o tempo, você pode ser marcado como remetente não confiável e aí a tendência é que cada vez mais suas mensagens vão parar na caixa de spam do destinatário.

Do mesmo jeito o conteúdo é avaliado. 

Se ele contém muito texto em caixa alta, com vários pontos de exclamação, o termo “grátis” e variações para todo lado, muito provavelmente será considerado spam.

Mas essa marcação não depende só da avaliação dos provedores de email.

Se os próprios destinatários recorrentemente enviam suas mensagens para a caixa de spam, isso prejudica a sua reputação como remetente.

E aí os provedores vão passar a marcar seus emails como spam.

Para saber um pouco mais sobre esse assunto, eu indico a leitura do artigo Sender reputation: o que é, para que serve e como ela pode impactar na entregabilidade dos seus emails aqui no blog do KP.

Como manter sua estratégia de marketing digital longe do spam?

Eu selecionei algumas dicas práticas e simples para você aplicar na sua estratégia de email marketing e evitar que as suas mensagens cheguem na caixa de spam do usuário.

Leia cada uma com muito cuidado e não deixe de segui-las. 😉

Pois vale muito mais a pena os resultados de uma estratégia bem feita, focada em potenciais clientes interessados no seu produto ou serviço do que sair mandando email adoidado e fazer spam.

1. Não compre lista de emails

Tenha em mente que, quando se trata de email marketing, comprar uma lista pronta pode parecer uma solução rápida – e realmente é.

Mas a que custo?

Na verdade, essa ação não tem nada de benéfica. 

A prática não é recomendada por vários motivos.

Primeiro, esse tipo de lista contém vários endereços de pessoas aleatórias, dificultando atingir quem realmente possa se interessar pelo seu produto ou serviço. 

Em segundo lugar, essas mesmas pessoas não deram a autorização para que você enviasse o email. 

Além do risco de ser marcado como spam, a sua credibilidade pode ser afetada negativamente. 

Se você não sabe como captar emails para a sua lista, o artigo Como criar uma lista de emails do zero: o guia definitivo certamente vai te ajudar.

2. Mantenha sua lista de emails higienizada

Quando se fala em higienização de lista de emails, estamos realmente nos referindo a limpar da sua lista, todos aqueles emails que não são mais válidos, nem relevantes para as suas campanhas. 

Se você identificar emails que não existem, através de status de hard bounce (erro permanente de entrega), é melhor excluí-los para não prejudicar a qualidade da sua lista.

Além disso, é interessante avaliar as leads que já nem abrem mais seus emails há algum tempo e considerar se as mantém ou não.

Lembrando que se você envia frequentemente email para muitas pessoas que não abrem, isso pode acabar manchando a sua reputação como remetente. 

3. Não utilize títulos clickbaits

Tentar esconder sobre o que realmente se trata a sua mensagem para criar expectativas é um péssimo hábito e que vem sendo penalizado fortemente, principalmente, por plataformas como o Facebook. 

Por isso, para evitar criar falsas expectativas e manter uma boa credibilidade, certifique-se que o título do seu email ou da sua publicação transmita todas as informações necessárias.

Busque assegurar que o leitor irá conseguir saber do que se trata antes mesmo de clicar. 

Nada de utilizar títulos clickbaits.

4. Escreva emails sem cara de spam

Evite elementos característicos das mensagens de spam no seu email, como vários pontos de exclamação ou termos apelativos, como “grátis” e “clique aqui”. 

Isso geralmente é associado a spam e pode fazer com que o usuário exclua seu email logo de cara. 

O ideal é elaborar um layout bem feito, com as cores institucionais do seu negócio e com a linguagem do seu público.

Mas, é claro, fazer uma revisão ortográfica é sempre bom para manter a credibilidade do email. 

Para ver mais dicas de como escrever um email criativo e sem cara de spam, leia o artigo Como escrever um email: 17 dicas essenciais para suas campanhas.

5. Utilize templates HTML

Enviar um email todo com imagens é um erro grave por dois motivos principais. 

Primeiro, porque os principais serviços de correio eletrônico, como Google e Yahoo, possuem um bloqueio padrão para esse tipo de email. 

Segundo, o tempo de carregamento é bem maior e o usuário ainda precisa permitir que as imagens sejam exibidas. 

Cá entre nós, nos dias de hoje, ninguém tem tempo para isso.

Seu email precisa ser direto, claro e conciso.

O usuário precisa saber do que se trata logo de cara para que não corra o risco de ser excluído ou marcado como spam. 

Por isso, se você quiser colocar muitas imagens, personalizar a cor de fundo, construa seus emails utilizando um template HTML. 

Além de prontos, eles já estão otimizados para serem exibidos sem problemas nos principais serviços. 

E, para ver mais dicas de como evitar cair na caixa de spam, confira o artigo: 19 dicas imperdíveis para evitar que seus emails caiam no spam.

Envie suas campanhas de email marketing com o Klicksend

Existem várias plataformas de emails disponíveis na internet. Temos gigantes do mercado como Gmail, Hotmail e Outlook.

Mas muitos deles não foram criados especificamente para o envio de email marketing.

Imagine que você tem cem contatos na sua lista e vai enviar um email para todos.

Se você usa um serviço comum, como um Gmail, vai ter que adicionar destinatário por destinatário. 

Numa lista com cem contatos já é complicado. Agora, pensa em uma lista de mil, dez mil, cinquenta mil emails. 

Um trabalho desnecessário.

Por isso, eu vou te recomendar o serviço de email marketing criado pela equipe do Klickpages: o Klicksend.

Ele é um dos mais completos serviços de email marketing do mercado e tem funções exclusivas que poupam o tempo.

Como o sistema de marcação com tags, que permite enviar um email rapidamente para os contatos que tem ou não uma determinada característica, sem necessidade de comandos técnicos e complexos.

Por exemplo, você pode enviar um email de boas vindas apenas para os usuários novos na sua plataforma. Tudo isso em poucos minutos.

Quer saber mais sobre como o Klicksend funciona e como ele pode te ajudar? É só clicar aqui!

Conclusão

Não é muito difícil que as suas mensagens caiam na caixa de spam, afinal de contas, em média, um a cada dois emails vão parar nesta caixa.

Mas você não precisa ficar se preocupando com isso.

Porque, neste artigo, você viu exatamente o que fazer para manter sua estratégia de email marketing bem longe do spam.

Além disso, eu também te expliquei o que significa e como surgiu esse termo, quais são os principais tipos e meios de envio e como funcionam os filtros de spam.

Gostou desse artigo? Me conta aqui embaixo nos comentários! 

E não se esqueça de assinar a newsletter do Klickpages para receber mais conteúdos como esse semanalmente na sua caixa de entrada. 

(Este artigo foi originalmente publicado em 2 de abril de 2020 e atualizado em 3 de agosto de 2021 por João Pedro Ferreira para oferecer informações mais precisas e completas).

COMPARTILHE NAS REDES SOCIAIS!

Sobre o Autor

Hugo Rocha é co-fundador da Ignição Digital e do Klickpages. Já atuou diretamente nos bastidores dos maiores lançamentos digitais do Brasil. Atualmente está a frente da equipe de tráfego e crescimento da Ignição Digital e Klickpages liderando pessoalmente mais de R$ 4 milhões de reais em investimento em tráfego nos últimos 12 meses com ROI acima de 300%.