Landing page: guia prático completo

Landing Page

Se você quer que o seu negócio tenha uma presença na internet, a landing page é um dos recursos indispensáveis para alcançar esse objetivo. 

E, para ser bem sincero, não importa se você deseja ter um negócio 100% digital ou se você tem uma loja física e quer apenas usar a internet para atrair mais clientes.

Uma landing page pode ser a prova que o seu potencial cliente precisa de que o seu negócio de fato existe.

Além disso, essa página é muito poderosa e capaz de transformar simples visitantes em potenciais clientes.

Ou até mesmo potenciais clientes em clientes de fato.

E nesse guia prático completo você vai ver o que precisa saber sobre o assunto, desde o que é uma landing page e para que serve até como criar a sua. 

Começando por… 

O que é landing page?

Como você já deve imaginar, landing page é um termo originado do inglês e que, quando traduzido para o portugês, temos algo como página de aterrissagem.

Esse é um tipo de página totalmente focada em uma única coisa: conversão

Em outras palavras, ela tem como objetivo conduzir o usuário a realizar uma ação. Seja ela consumir um conteúdo, fazer o download de um material, se inscrever para a sua newsletter ou realizar uma compra.

A diferença da landing page para outros tipos de páginas do seu site é que ela é construída exatamente com esse objetivo e nenhum outro.

Assim, tudo aquilo que pode gerar distrações, prejudicar ou comprometer de alguma forma esse objetivo é removido.

Portanto, ela é uma página mais limpa, com menor quantidade de links e de elementos visuais.

Quer um exemplo? 

Como você pode notar, a landing page da Netflix tem como objetivo converter os visitantes em assinaturas. 

Para isso, ele não precisa de nada além de uma boa headline, um formulário de captura e uma CTA objetiva. 

Para que serve uma landing page?

Uma landing page serve para realizar conversões e gerar leads. 

Isso é, conseguir uma forma de contato, geralmente o email, de potenciais clientes para que a partir disso você possa criar um relacionamento com eles através do seu conteúdo até que chegue o momento de fazer uma oferta do seu produto ou serviço.

Dessa forma, a landing page é um passo importante no processo de venda do seu negócio.

É através dela que você provavelmente irá iniciar o relacionamento com muitos dos seus futuros clientes.

E é por essa razão que ela precisa ser construída com linguagem convidativa e aparência atrativa.

A confirmação da conversão e a atração de um potencial cliente para a sua base de contatos dependem dessa estratégia.

Por isso, um dos principais erros no marketing digital é não dar valor a landing page e tratá-la como uma homepage, por exemplo. 

Para você entender melhor, eu vou te explicar as diferenças entre a homepage e a landing page. 

Mas primeiro…

Por que você deve usar landing pages?

Por que você precisa de uma página 100% focada em conversões? 

A resposta para essa pergunta é um pouco mais simples do que você imagina. 

Existe um estudo publicado pela Statistic Brain que diz que o tempo médio de atenção humana é de apenas 8,25 segundos.

Ou seja, depois que um potencial cliente entra na sua página, você tem menos de 10 segundos para chamar a atenção dele e garantir a conversão.

E esse tempo que já é curto, fica cada vez menor já que os seus potenciais clientes são bombardeados com inúmeras notificações de redes sociais, email marketing e serviços de streaming.

Por esse motivo, ter apenas uma homepage com todas as informações do seu negócio, na maioria das vezes, não representa um resultado tão satisfatório.

Quando você dá muitas opções de uma vez para o visitante da sua página, as chances dele ficar confuso ou perder o interesse são grandes.

Se ele não encontrar o que procura logo nos primeiros 8,25 segundos do acesso, ele vai fechar a sua página e não vai voltar.

Em contrapartida, se você seguir as boas práticas na hora de criar as suas landing pages, não tem erro. A sua taxa de conversão vai decolar. 🚀

Mas não é só isso… 

Quando uma pessoa se inscreve na sua landing page, seja para saber mais do seu produto ou serviço, baixar um ebook ou para ter acesso a um webinar, por exemplo,ela se torna um lead e entra para a sua lista de contatos.

A partir disso ela começa a receber conteúdos do seu negócio via email que vão nutri-las e enganá-las até que ela esteja pronta para realizar uma compra. 

Qual a diferença entre landing page e uma homepage?

A homepage, ou página inicial, é a capa de um site. Ela aponta caminhos, mas não a solução exata para a necessidade do usuário.

Geralmente, de lá você pode obter links para informações de contato do negócio, endereço das lojas físicas, blog e até mesmo conhecer um pouco da história da empresa.

Já a landing page tem como objetivo responder a uma demanda específica do usuário.

A homepage é subjetiva, cheia de links, imagens e também anúncios.

A landing page é objetiva, com elementos restritos para evitar distrações.

A primeira apresenta ao usuário uma série de opções; a segunda, recomenda claramente o que ele deve fazer ao indicar um único caminho.

Agora que você já sabe diferenciar essas duas páginas, eu vou te mostrar…

Tipos de landing page

Como você já viu, cada landing page possui um objetivo único, mas eles podem ser divididos em categorias para você ter mais facilidade de identificar o tipo de página que você precisa.

Neste tópico, eu separei para você quais são os principais tipos, características de cada um deles e em que momento da sua estratégia eles se encaixam.

1. Página de captura

Essa é uma landing page voltada exclusivamente para capturar o email de um potencial cliente.

Geralmente, nela você faz uma oferta, seja de um material para download ou a inscrição em um webinário, por exemplo.

E em troca, para liberar o acesso, pede o endereço de email do visitante através de um formulário.

Para saber mais detalhes sobre esse tipo de landing page, eu indico a leitura desse artigo aqui

2. Página de confirmação pendente

Normalmente, depois que o usuário informa o email, ele é redirecionado para uma página de confirmação pendente.

Essa é uma landing page bem mais simples cujo objetivo é indicar para o potencial cliente que ele precisa acessar a conta de email e confirmar a inscrição para ter acesso a recompensa.

Aqui precisam estar bem claras as informações sobre os passos seguintes que o usuário deve tomar, para que ele não fique confuso, achando que a ação anterior não foi bem sucedida.

3. Página de vendas

A landing page do tipo página de vendas tem como objetivo ofertar um produto ou serviço.

Ela deve conter os benefícios do que está sendo ofertado, a transformação que esse produto ou serviço pode gerar na vida da pessoa, prova social através de depoimento de clientes satisfeitos, uma seção de FAQ com respostas para as principais perguntas sobre a oferta.

Todos os recursos desta página têm o foco em levar o usuário para a página de pagamento, que é onde ele irá finalizar o processo de conversão.

4. Página de obrigado

Por último, a página de obrigado serve para finalizar a conversão tanto no caso de uma venda quanto na captura de lead.

Ela indica para o cliente ou potencial cliente que a ação executada foi concluída com sucesso e pode sugerir um próximo passo.

Esse próximo passo pode ser desde a leitura de um artigo de blog, o download de uma outra recompensa ou a compra de um produto adicional.

7 dicas de como criar uma landing page que converte

Você já viu que todos os elementos da sua landing page devem estar focados em converter um visitante em potencial cliente ou um potencial cliente em cliente.

Mas o que você provavelmente ainda não sabe é quais elementos são esses.

Na minha experiência, uma boa landing page tem basicamente 7 partes. 

Elas são as seguintes:

1. Título chamativo

O título (ou headline) deve tirar o usuário da inércia, levá-lo a se mexer na cadeira e abandonar a zona de conforto.

Isso quer dizer falar algo que chame a atenção do público e o deixe curioso para saber do que se trata a sua oferta.

Além disso, ele deve ser claro, prometer algum benefício ou oferecer uma solução, e não pode gerar confusão.

Exemplos de bons títulos: 

  • A ferramenta que você precisa para criar landing pages, atrair clientes e alavancar o seu negócio
  • Como usar a internet para alavancar suas vendas ou criar um negócio digital 100% do zero
  • Desenvolva uma nova habilidade e mude o seu futuro
  • Cursos 100% online e gratuitos para você entrar com o pé direito nas tecnologias mais desejadas do mercado

2. Oferta

Depois de conquistar a atenção do seu potencial cliente, você deve convencê-lo de que a oferta da sua landing page vale o tempo dele (e o dinheiro, se você estiver vendendo algo).

Esse é o momento de usar os gatilhos mentais para apresentar seu produto, serviço ou material para download de forma interessante e que estimule a conversão.

Lembre-se de destacar os benefícios da oferta e o que o seu potencial vai sair ganhando ou qual problema será resolvido, se ele completar a conversão.

3. Utilize recursos visuais

Os recursos visuais, como imagens e vídeos, podem e devem ser usados para tornar a sua oferta mais concreta.

Por exemplo, se você está vendendo um produto, coloque uma foto dele.

Além disso, você também pode usar imagens que representam a transformação que a sua oferta pode gerar na vida do seu potencial cliente.

Isso vai deixar mais claro para o visitante qual é o tipo de resultado que ele pode esperar caso ele prossiga com a conversão.

4. Formulário de captura fácil de preencher

O formulário de captura é um dos pontos chave da sua landing page e, mesmo que pareça simples, muita gente comete erros que podem custar as suas conversões nessa etapa.

O erro mais comum é apresentar um formulário que pede mais informações que o necessário, fazendo com que o seu visitante se sinta intimidado…

A minha dica aqui é para que você só peça as informações que sejam realmente necessárias.

Por exemplo…

Se você está ofertando um ebook, você não vai precisar de mais que o primeiro nome e o email de contato do visitante. 

Dessa forma você deixa o processo de preenchimento do formulário mais prático e as chances de converter o potencial cliente em lead é maior.

Eu separei aqui um artigo do blog do KP que conta com 7 dicas para um formulário de captura mais eficiente.

5. Call to Action (CTA)

Call to action ou chamada para ação é um convite para o usuário dar o próximo passo.

Geralmente, em uma landing page a CTA costuma aparecer na forma de botão com frases no estilo “clique aqui e experimente grátis”, “baixe agora e descubra…”.

Esse é um dos pontos que você deve tomar mais cuidado com o quesito clareza, pois o usuário deve entender com facilidade qual é a ação esperada dele.

Para que você possa entender um pouco mais sobre esse tema, eu separei aqui dois artigos que vão te ajudar:

6. Conte com uma ferramenta que facilite o processo

Quando o assunto é criar uma landing page do zero, a primeira coisa que vem na nossa mente é o trabalho que isso dá.

Imagina só ter que virar noites digitando código para ter uma página pronta para publicar. Ou então, precisar gastar contratando um programador para dar conta do serviço.

Mas na prática é bem mais simples que isso. Hoje é possível criar e publicar uma landing page gasto menos de uma hora no processo.

Como? É muito simples!

Tudo o que você precisa é poder confiar em uma ferramenta que facilite o processo. E é justamente aí que o Klickpages entra em cena.

Com ele você tem acesso a diversos templates prontos e já testados no mercado. Basta escolher um, realizar as mudanças necessárias para deixar a sua página com a cara do seu negócio e clicar no botão de publicar.

Quer saber mais sobre como o Klickpages pode ajudar o seu negócio? É só clicar no botão abaixo 👇: 

7. Realize testes 

Por último mas não menos importante…

Se você tem dúvidas como:

“Onde devo colocar o formulário? E o botão de CTA?”

“Será que estou usando as cores certas?”

“Esse título está mais chamativo do que o anterior?”

Você pode utilizar o teste A/B para decidir qual é a melhor opção.

Ele consiste em lançar duas versões da mesma página porém com alterações em um elemento.

Durante o período de testes, alguns usuários são selecionados para acessar a versão A da página, e outros a versão B.

No final, você analisa os resultados e descobre na prática qual caiu mais no gosto do seu público e, assim, pode usar esse modelo para captar leads ou fazer vendas.

Esse assunto já foi tema do nosso podcast e você pode conferir o episódio clicando no player abaixo 👇: 

Conclusão

Neste artigo, eu trouxe para você um guia prático completo sobre landing pages, que é um tipo de página crucial para quem deseja ter presença na internet.

Agora chegou a sua vez de trazer todo esse aprendizado para prática criando a sua própria landing page. Para isso, não deixe de contar com a ajuda do Klickpages. 😉

Gostou deste artigo? Me conta aqui nos comentários!

Ah, e não se esqueça de assinar a nossa newsletter para receber mais conteúdos como esse semanalmente na sua caixa de entrada. É só clicar aqui! 

(Este artigo foi originalmente publicado em 20 de setembro de 2017 e atualizado em 10 de março de 2020 para oferecer informações mais precisas e completas)

COMPARTILHE NAS REDES SOCIAIS!

Sobre o Autor

Hugo Rocha é co-fundador da Ignição Digital e do Klickpages. Já atuou diretamente nos bastidores dos maiores lançamentos digitais do Brasil. Atualmente está a frente da equipe de tráfego e crescimento da Ignição Digital e Klickpages liderando pessoalmente mais de R$ 4 milhões de reais em investimento em tráfego nos últimos 12 meses com ROI acima de 300%.