Como hospedar um site: guia para iniciantes

Em 2014, eu aprendi o básico de HTML, CSS e Javascript e decidi que iria criar o meu próprio site para divulgar meu portfólio. 

Porém duas semanas depois eu esbarrei no meu primeiro grande obstáculo: como eu iria hospedar meu site para que disponibilizá-lo na internet?

Eu tinha alguma noção de que precisaria arrumar um endereço personalizado com meu nome para o meu site e precisaria colocá-lo em um servidor para que ele fosse acessível.

Mas eu não fazia a menor ideia de por onde começar ou de tudo que seria necessário nesse processo. 

Se você está pensando em criar um site para o seu negócio ou já está até com o processo avançado e esbarrou na mesma dúvida que a Angela de anos atrás, você veio no lugar certo.

Esse guia para iniciantes foi desenvolvido especialmente para pessoas como você, que já sabem que precisam de um site para divulgar seu trabalho ou negócio na internet, mas tem dúvidas sobre tudo que é necessário para ter um site publicado na internet.

Mesmo que não seja você que vá fazer toda a parte técnica de desenvolvimento, eu recomendo fortemente que você continue aqui comigo, porque as decisões relacionadas à hospedagem podem afetar diretamente os resultados do seu negócio.

Mas antes de entrar de fato em como hospedar um site, eu preciso responder uma dúvida que é muito comum e vai impactar diretamente no processo.

O que é um domínio?

Basicamente, o domínio é a parte principal do endereço de um site, todas as páginas têm essa parte em comum em seu endereço.

Por exemplo, se você quiser fazer uma pesquisa na internet, basta digitar na barra de navegação www.google.com.br para acessar o site do Google.

Da mesma forma o seu site precisa de um domínio, algo como www.seunegocio.com.br para ser acessível na internet.

Os endereços de domínio são alugados por tempo determinado em registradores como o registro.br ou GoDaddy.

Ter um domínio é essencial para hospedar o seu site na internet. Se você ainda não tem um, pode pesquisar nos dois registradores que acabei de indicar e também, neste artigo, eu vou apresentar uma outra solução.

O que é um servidor de hospedagem?

Para que as pessoas possam visitar a sua casa, não basta ter um endereço. É preciso que a sua residência seja construída em um terreno acessível.

No mundo dos sites não é diferente.

Além de um domínio, você vai precisar de um servidor de hospedagem. 

Ele nada mais é do que um computador (bem mais potente que o seu computador pessoal) que fica ligado ininterruptamente e permite que suas páginas sejam amplamente acessíveis na internet.

Assim como o domínio, o servidor pode ser alugado através de uma assinatura em um serviço de hospedagem. 

Ou você pode construir seu próprio servidor local (o que não é recomendado pois exige máquinas mais potentes e com mais recursos para garantir a estabilidade e segurança do seu site).

Como hospedar seu site

Hospedar um site pode parecer um bicho de sete cabeças se você não tem muito conhecimento técnico.

E está tudo bem achar isso. Eu também pensei assim no começo 😅.

Por isso, eu vou quebrar esse processo em 4 passos simples para descomplicá-lo.

1. Escolha o tipo de hospedagem ideal para seu negócio

Você pode ter um servidor local, montado por você mesmo ou sua equipe. Mas como eu já falei, essa não é uma boa ideia pois você precisaria de um computador muito potente e teria que se preocupar com mais coisas.

Como a ideia é simplificar e descomplicar o processo, o ideal é contratar um serviço de hospedagem.

Eles são divididos em três tipos:

Servidor compartilhado

Esse é o tipo mais popular de hospedagem e a melhor opção para quem está começando, não tem um volume alto de tráfego e não precisa de recursos muito avançados.

O servidor compartilhado divide o espaço e os recursos disponíveis entre diversos usuários (cada um com a sua conta e acessos separados), o que faz com que o custo operacional seja reduzido e você possa pagar mais barato.

Como eu falei, ele é ideal para começar e conforme seu negócio for crescendo e o tráfego do seu site aumentar, você pode mudar para um tipo de hospedagem mais robusta.

Servidor dedicado

Do outro lado da escala, está o servidor dedicado. 

Ele é ideal para sites que recebem um volume muito muito alto de tráfego e precisam de uma estrutura mais robusta e complexa.

Nesse tipo de hospedagem, todos os recursos operacionais são dedicados a um único usuário, o que permite configurações mais avançadas e garante estabilidade em picos muito grandes de tráfego.

Por outro lado, como se trata de uma estrutura mais robusta para apenas um usuário, o custo tende a ser mais alto do que o servidor compartilhado.

VPS (Virtual Private Server)

Essa é uma opção intermediária que une a independência do servidor dedicado com a distribuição de recursos do servidor compartilhado.

No VPS, o servidor físico é dividido em compartimentos independentes com seus próprios recursos de forma virtual. 

Ou seja, na prática continua sendo uma máquina só, mas cada site é hospedado em um compartimento diferente, com seus próprios recursos dedicados.

A hospedagem em nuvem (ou cloud hosting) funciona dessa forma.

Em questão de custo, as assinaturas desse tipo de serviço geralmente são mais caras que os servidores compartilhados e mais baratas que os servidores dedicados.

2. Escolha um provedor de hospedagem

Sabendo qual tipo de hospedagem o seu site precisa (compartilhada, dedicada ou VPS) fica mais fácil escolher um provedor.

Com uma busca rápida no Google por “hospedagem de site”, você vai encontrar diversas opções como Hostinger, HostGator, GoDaddy… Mas como saber qual é a melhor opção?

A plataforma que você escolher pode impactar em aspectos importantes do seu site como segurança, disponibilidade e estabilidade. 

Por isso, é importante avaliar alguns pontos na hora de escolher o serviço.

Disponibilidade

Esse é um dos requisitos mais críticos a se analisar. 

A disponibilidade significa que seu site, uma vez que publicado na internet e não seja removido, estará acessível sempre que alguém tentar visitá-lo. 

Plataformas que oferecem serviços instáveis prejudicam a disponibilidade do seu site e, como consequência, você pode acabar perdendo potenciais clientes e vendas.

Largura de banda

É a quantidade de dados que o servidor consegue enviar para os visitantes dentro de um período de tempo. 

Isso impacta diretamente na velocidade de carregamento do seu site. Quanto mais pesado ele for (mais informações, imagens, vídeos) e menor for a largura de banda, mais tempo demora para que ele carregue completamente para o visitante.

Facilidade de uso

Algumas plataformas podem até ser mais baratas, mas se elas são complicadas de mexer, as telas não são muito intuitivas, você pode acabar tendo problemas que vão atrasar o seu projeto ou comprometer o resultado final do seu site.

Suporte

Como o site é algo muito importante para qualquer tipo de negócio, na hora que você tiver algum problema, a primeira coisa que você vai querer é um atendimento rápido e de qualidade. Por isso, é importante pesquisar sobre o suporte do provedor de hospedagem antes de contratá-lo.

Analisando esses critérios, você pode tomar uma decisão mais informada sobre qual plataforma assinar e qual opção de plano é melhor para o seu site. 

3. Vincule o seu domínio próprio com o servidor

Agora nós começamos a entrar na parte mais técnica do processo.

Se você adquiriu um domínio através de um registrador e não diretamente com a plataforma de hospedagem (alguns serviços inclusive oferecem domínio gratuito junto com a hospedagem), você precisa conectar as duas coisas.

Essa etapa seria como colocar a placa no terreno para indicar que aquele é o endereço do local.

O serviço de hospedagem que você contratou deve fornecer tutoriais específicos para a vinculação de domínio externo, é só seguir os passos indicados ou entrar em contato com os canais de suporte fornecidos pela contratada caso tenha alguma dificuldade nessa etapa.

4. Hospede seu site

✅ Domínio registrado 

✅ Hospedagem contratada 

✅ Vinculação entre domínio e hospedagem feita 

Agora é o momento de fazer a hospedagem do seu site. 

Cada serviço tem o seu próprio processo e tutoriais que vão te auxiliar a executar o que é necessário.

Mas em linhas gerais essa etapa consiste em mover os arquivos do seu site para o servidor (caso ele tenha sido codificado linha por linha na mão) ou fazer a instalação de um CMS (serviço de gerenciamento de conteúdo), como o WordPress, no seu servidor e criar o seu conteúdo lá dentro. 

Crie e hospede o seu site de forma simples e rápida

O meu objetivo com esse artigo é simplificar e descomplicar para você o processo de criação e hospedagem de sites.

E, por isso, eu não poderia deixar de te falar do Klickpages.

Ele é um criador de páginas, onde você seleciona um template (ou pode começar do zero), customiza com as cores, imagens e informações sobre o seu negócio e precisa apenas clicar no botão de publicar para que a sua página esteja acessível na internet.

Toda a parte de hospedagem é feita pelo próprio Klickpages sem que você precise configurar nada.

Além disso, ele possibilita que você utilize o seu próprio domínio (caso tenha o seu) e oferece um endereço gratuito que você pode usar caso não tenha um domínio.

Simples, né?

Para conhecer mais o Klickpages e saber como ele pode ajudar o seu negócio, é só clicar no aqui.

Conclusão

A hospedagem é uma etapa essencial para que as pessoas possam visitar o seu site e descobrir mais sobre o seu negócio.

E por isso na hora de decidir qual tipo de serviço contratar, você deve levar em consideração questões como disponibilidade do servidor, largura de banda e o suporte oferecido.

Mas como você viu, esse processo não é um bicho de sete cabeças e atualmente existem serviços muito bons e fáceis de usar.

Inclusive, alguns possibilitam a criação e publicação do seu site sem mesmo que você precise lidar com a parte de hospedagem.

O que você achou deste artigo? Me conta aqui nos comentários 👇, vou gostar muito de saber! Ah, e não se esqueça de assinar a newsletter do KP para receber mais conteúdos como esse semanalmente na sua caixa de entrada. É só clicar aqui.

COMPARTILHE NAS REDES SOCIAIS!

Sobre o Autor

Meu nome é Angela, mas algumas pessoas me chamam de Angel. Faço parte do time de conteúdo do Klickpages e sou apaixonada por tecnologia e marketing. Sou especialista em SEO, tráfego orgânico e informações aleatórias (você sabia que o Alaska está mais perto da Rússia do que Brasília de Goiânia? Pois é...), fã de country americano e louca em esportes. Acompanho de tudo, mas meus favoritos são Fórmula 1 e futebol, inclusive assisto a jogos mesmo quando o meu time (Palmeiras <3) não está em campo. Ah, eu acredito que música de natal deveria tocar o ano inteiro e Christmas Peaceful Piano está entre as 3 playlists mais tocadas no meu Spotify.