Boas práticas para landing pages: como criar páginas que convertem mais

Boas práticas para landing pages

Se você ainda acha que criar uma página na internet é o maior desafio de toda a sua estratégia digital, está na hora de rever os seus conceitos.

Criar uma landing page não é mais tão difícil assim. Ou melhor, não precisa ser.

Hoje em dia já é possível criar uma página na internet em menos de uma hora, sem precisar ter conhecimento em programação ou ser um especialista em design.

Como? Basta contar com a ferramenta certa.

Agora, fazer com que essa página seja uma máquina de conversão… Aí já é uma outra história.

Colocar uma landing page no ar rapidamente é, sem dúvida, uma grande vantagem. Mas velocidade não deve ser o seu único objetivo.

O sucesso de uma página depende de outros fatores.

Por isso neste artigo vou mostrar as boas práticas para criar uma landing page campeã em conversões!

Vamos lá?

Como ter uma página que converte mais?

Como eu falei, agilidade na hora de construir e publicar sua página é ótimo. Mas não é tudo.

Para ter uma landing page que converta mais é preciso seguir algumas orientações.

Pode parecer óbvio, mas o primeiro passo é…

1- Defina um objetivo

Basicamente, comece do começo.

Qual é o seu objetivo ao criar uma landing page?

Não custa lembrar que a landing page é uma página focada em conversão. Todas as informações nela devem levar o visitante a fazer uma ação específica.

Se o objetivo da página não está claro para você, ele também não vai estar claro para o seu visitante.

Você pode querer que o seu público:

  • compre um produto;
  • baixe um material educativo;
  • faça inscrição para um evento.

Ao definir o que o visitante precisa fazer ao acessar a página, a chance de sucesso é maior.

2- Foco na “primeira página”

O mais importante vem primeiro, sempre.

Uma boa prática para landing pages é deixar o conteúdo mais importante em destaque, na “primeira página”, aquela parte que fica na tela antes que o visitante comece a rolar para baixo.

Esse é o ponto de maior valor da sua página. 

É a primeira coisa que o seu visitante vai ver. E pode ser a única.

Coloque sua CTA, além do seu copy mais convincente e imagens ou vídeos mais atraentes nesse espaço.

Mas também não se esqueça que alguns visitantes vão rolar para a parte de baixo. Por isso, inclua a CTA em pontos distintos da página.

A intenção é garantir que, em qualquer parte da landing page, ele realize a ação que você definiu.

3- Escreva um copy forte

O copywriting é a técnica de escrita voltada para conversão. Se a landing page é uma página focada também em conversão, o encontro das duas coisas é a combinação perfeita.

Invista em uma escrita persuasiva, que leve o seu visitante a tomar uma ação. 

A verdade é que, ao chegar em uma landing page, sua lead quer as principais informações disponíveis da forma mais clara possível.

Por isso, toda palavra precisa cumprir um objetivo.

Foque em frases fortes, que funcionem bem sozinhas (pense em títulos e chamadas, por exemplo), parágrafos curtos e, sempre que possível, listas e marcadores para facilitar a leitura.

4- Pense no design

Uma das principais características de uma ótima landing page é que ela deve, de forma natural, guiar a atenção do visitante na ordem e direção que você deseja. E parte disso é responsabilidade do design.

Para conseguir isso, o design de sua página deve usar indicadores visuais que atraiam o olhar de quem está lendo.

É como se a página contasse uma história por meio do posicionamento do texto e das imagens.  

Isso pode ser feito com uma indicação direta, com o uso de setas, por exemplo, ou de maneira mais sutil.

A forma como o texto e o conteúdo visual são dispostos podem guiar o visitante a seguir um caminho e continuar lendo.

5- Escreva boas CTAs

Se a sua página fosse uma fatia de bolo, a CTA seria a cereja. É um detalhe pequeno, mas faz toda a diferença — e normalmente fica por último, tanto na garfada quanto no planejamento.

A call to action, ou chamada para ação, é o que vai orientar o seu visitante e fazer com que ele realize a ação que você quer.

Por isso, sua CTA precisa estar relacionada ao seu objetivo principal. Se você quer que o seu visitante faça uma compra ou baixe um material, por exemplo, diga isso para ele. 

Se as pessoas estão interessadas em sua oferta, elas não vão querer perder tempo tentando descobrir como obtê-la. 

Torne seu botão de CTA visível imediatamente, dando a ele uma forma reconhecível, deixando claro que é algo em que os usuários devem clicar.

Usar uma cor que contraste com o resto da página é sempre uma boa ideia.

6- Use depoimentos

Se você coleta depoimentos de quem já comprou o seu produto ou serviço, é hora de tirar essa carta da manga e usar sem medo.

A prova social é como se fosse uma evidência usada para mostrar que outras pessoas compraram e aprovaram o que você está vendendo, provando o quão popular ou bom ele é.

Essa estratégia funciona muito bem porque é baseada no efeito bandwagon (ou efeito adesão), fenômeno da Psicologia que explica porque as pessoas geralmente tendem a optar por uma ação que já foi realizada por outras.

Logo, costumam comprar coisas que várias pessoas já experimentaram e deram a sua opinião (principalmente positiva) a respeito.

Em uma landing page, o depoimento de clientes pode ser o argumento que faltava para transformar um visitante em lead.

7- Faça testes

Além de implementar as boas práticas para landing pages que eu recomendei até aqui, existe uma outra maneira de garantir o sucesso da sua página: o teste A/B.

Essa etapa envolve a criação de duas landing pages semelhantes, mas com um ponto diferente entre elas. 

Assim, você descobre qual das duas tem o melhor desempenho entre seus visitantes — e a página vencedora é a que vai ser usada a partir desse momento.

A possibilidade de testes é imensa. Você pode descobrir qual cor ou posição de CTA é melhor, qual título, imagem, vídeo, depoimento.

O único cuidado com o teste A/B é que a mudança deve ser feita em apenas um ponto. Só assim é possível identificar qual foi o motivo do sucesso de uma página em relação à outra.

E aí é só aplicar essa mudança em landings pages futuras.

8- Recorra a templates

Considere esse ponto um “atalho”. 

Você não precisa criar uma landing page do zero. Isso com certeza vai exigir conhecimento técnico ou a ajuda de um profissional com experiência no assunto.

Lembra que eu falei que ter agilidade na hora de construir sua página não era tudo? Isso não quer dizer que esse não é um fator importante.

Recorrer a templates, aliás, é uma excelente forma de garantir que você vai ter tempo para focar em todas as boas práticas que eu listei aqui.

Como o Klickpages pode te ajudar?

Com o Klickpages é possível criar páginas a partir de templates prontos e já testados no mercado. 

Você pode escolher o modelo por meio de uma busca a partir de palavras-chave relacionadas ao seu nicho de mercado.

Depois é só alterar — se quiser — de acordo com as suas necessidades as cores, fontes, textos, entre outros.

O template serve como ponto de partida para dar uma ideia macro sobre o projeto, especialmente sobre a visualização dele. 

Mas você tem a liberdade de decidir de que maneira vai usar cada espaço disponível na peça. 

Ao utilizar uma ferramenta como o Klickpages, você pode realizar modificações no logotipo, cabeçalho, rodapé, menus, imagens, títulos, descrições, links, formulários… As possibilidades são infinitas! 

Tudo isso de forma simples e prática. 

Não é necessário ser um expert com conhecimentos avançados no assunto. 

Quer saber mais sobre o Klickpages e como ele pode ajudar o seu negócio? É só clicar aqui. 

Conclusão

Neste artigo você viu o que é necessário para ter uma landing page de alta conversão.

Agora é hora de colocar todas essas dicas em prática e começar a transformar visitantes da sua página em clientes!

Mas antes, não se esqueça de se inscrever na newsletter do Klickpages para receber semanalmente mais conteúdos como esse na sua caixa de entrada. Clique aqui!

COMPARTILHE NAS REDES SOCIAIS!

Sobre o Autor

Olá! Meu nome é Felipe e faço parte do time de conteúdo do Klickpages. Sou formado em jornalismo multimídia e apaixonado por escrita criativa. Não consigo ficar um dia sequer sem escutar música (inclusive me ajuda na hora de escrever), mas não toco nenhum instrumento — e canto muito mal. Aprendi a nadar com 30 anos (nunca é tarde!) e acredito que um bom título tem o poder de mudar tudo.